Nova Casa da Airev

Orlanda Moreira

A Orlanda viveu toda a vida com o seu pai, mas chegou a uma altura em que este já não lhe estava a conseguir dar o apoio que sua menina necessitava. As forças de uma vida começavam a perder-se e a Orlanda precisava de quem a apoiasse, de quem lhe mostrasse o que estava para além da sua casa, de quem lhe apresentasse novas pessoas, de quem lhe abrisse uma nova porta, a porta de um novo mundo. E foi então que passou a fazer parte do leque de meninos da AIREV, onde viria a conhecer o Pedro, um jovem que viveu sempre sem o amor de uma família, a quem hoje chama de namorado. A Orlanda e o Pedro encontraram o amor no Lar Residencial da AIREV.  São muito felizes e partilham gostos como o belo momento no sofá, o passeio ao final da tarde, o lanche fora de casa no fim de semana e a aptidão para o desporto. O Pedro inclusive já recebeu prémios na modalidade de Kickboxing adaptado. A Orlanda acompanha-o sempre e tem muito orgulho nas conquistas do seu grande amor.
A Orlanda e o Pedro já têm uma casa, mas há 70 meninos com deficiência que não têm. Ajude-nos a dar-lhes uma casa.

Orlanda Moreira

A Orlanda viveu toda a vida com o seu pai, mas chegou a uma altura em que este já não lhe estava a conseguir dar o apoio que sua menina necessitava. As forças de uma vida começavam a perder-se e a Orlanda precisava de quem a apoiasse, de quem lhe mostrasse o que estava para além da sua casa, de quem lhe apresentasse novas pessoas, de quem lhe abrisse uma nova porta, a porta de um novo mundo. E foi então que passou a fazer parte do leque de meninos da AIREV, onde viria a conhecer o Pedro, um jovem que viveu sempre sem o amor de uma família, a quem hoje chama de namorado. A Orlanda e o Pedro encontraram o amor no Lar Residencial da AIREV.  São muito felizes e partilham gostos como o belo momento no sofá, o passeio ao final da tarde, o lanche fora de casa no fim de semana e a aptidão para o desporto. O Pedro inclusive já recebeu prémios na modalidade de Kickboxing adaptado. A Orlanda acompanha-o sempre e tem muito orgulho nas conquistas do seu grande amor.

A Orlanda e o Pedro já têm uma casa, mas há 70 meninos com deficiência que não têm. Ajude-nos a dar-lhes uma casa.
Manuel Martins
Paulo Oliveira
Menu